quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O odiado operador de telemarketing

Ta na na na na na na na na na na
Um momento, senhor.
Ta na na na na na na na na na na
Mais um momento, por favor.
Ta na na na na na na na na na na
Obrigada por aguardar, senhor. Em que posso “estar ajudando”?
É... Cedo ou tarde, todo brasileiro acaba enfrentando um operador de telemarketing. Digo “enfrentando”, porque perde-se um tempo razoável solicitando ou tentando cancelar algum tipo de serviço. É uma verdadeira batalha, da qual nem sempre saímos vencedores. O telemarketing é um dos ramos que mais gera empregos atualmente. Isso é bom! Afinal, quanto mais operadores existirem, mais fácil fica a nossa vida, “e todos vivem felizes para sempre”. Bem, acredita-se que as centrais de atendimento servem para facilitar as nossas vidas. Pelo menos, deveriam...
Os atendentes, que “deveriam estar respondendo” às nossas dúvidas, enchem-nos de perguntas. O interrogatório inclui nome, nossos quatro primeiros dígitos do CPF, código de área, e por aí vai. Conseguir falar com um deles já é uma vitória. Não é raro ouvirmos de uma gravação: “Por favor, aguarde. No momento, todos os nossos atendentes estão ocupados.” É de rir. De nervoso. O tempo urge!
Com a correria que enfrentamos no dia a dia, a batalha com o “alguém do outro lado da linha” transforma-se em um teste de paciência e tolerância. Embora consigamos vencer o operador de telemarketing, acabamos reprovados no teste. Haja paciência!
- Posso ajudá-lo em mais alguma coisa?
- Não.
- A empresa agradece. Tenha um bom dia.

Nenhum comentário: