quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Livro material ou virtual? Eis a questão


É química. Para mim, livro é "pura química". Gosto de tocar o papel e de sentir o cheiro. Gosto de ler deitada (não, não tenho notebook). Gosto de colocar todos aqueles personagens na bolsa e carregá-los comigo para cima e para baixo. É prazeroso saber que minhas mãos comportam uma história inteira, carregam vidas e emoções de toda aquela gente.
Livros virtuais não fazem meu estilo. Embora economizem papel, não preenchem minha estante. Pode parecer egoísmo, – “Tu não pensas nas árvores e em todo o papel utilizado?” – mas não é. Sim, penso. E todo o papel utilizado é muito bem guardado, lido, emprestado e devolvido à estante lá de casa.
Ebooks são tendência e não há nada de errado com isso. Vários livros cabem em um minúsculo pendrive e muito papel é economizado. Além disso, ler na tela do monitor é uma ótima opção para os “ratos de internet”, que passam o dia colados à “caixinha mágica”. Sou um desses “ratos de internet”. Passo o dia no PC e não canso, mas digo dos livros virtuais: "cansam os olhos". Isso é desculpa - esfarrapada como todas as desculpas! É que prefiro o papel, mesmo. Livro? Ah! Livro é "coisa de pele".

Nenhum comentário: