quarta-feira, 7 de abril de 2010

Verso Triste

Um portão cinza
Sem tinta
Só cinza, metal
Um jardim morto
Sem vida
Só folhas, vendaval.
Permanecia
Sentada
Sozinha
Vazia.
E nessa cena, meu Deus, quanta lástima!
Brilhava no olho de uma guria
(Se é que tristeza tem brilho)
O único brilho que vi nesse dia:
O brilho de uma lágrima.




Nenhum comentário: