sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Olho Neles!

Você, como bom cidadão brasileiro, está cansado? Eu também. Não vem de hoje o desprazer de acompanharmos os escândalos do governo. Instaurou-se farra tamanha que “não cabe dentro do possível”. É tanta coisa que ninguém sabe de nada, mesmo que tudo esteja acontecendo debaixo dos narizes dos “interessados”.
Em entrevistas ao quadro “Controle de Qualidade”, do programa CQC, podemos presenciar por exemplo, deputados que não conhecem a lei Maria da Penha, criada para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Nos noticiários, podemos ver de um lado, fraudes e mais fraudes, salários exorbitantes, atos secretos, castelo e 'até um mensalão, por que não'? De outro, hospitais sem leito, falta de segurança, descaso com a educação e uma lista extensa de necessidades básicas que deveriam ser a prioridade do governo. Necessidades básicas da população. Não deles.
Má administração pública não é novidade para nós, que somos brasileiros e não desistimos nunca. Não desistimos de continuar votando naqueles que fizeram coisas erradas no passado. Não desistimos de ter memória curta. Os mesmos que tiramos do poder, são os que tornamos a eleger. Nos queixamos por nossas escolhas. E temos reais escolhas? Ou descobriremos mais tarde que tudo não passava de um belo discurso persuasivo e continuaremos reclamando?
Você lembra da frase principal das propagandas da campanha “Olho Nele”, do TSE? O Brasil é tão bom quanto o voto que você colocou na urna. Isso não só na urna que elege o presidente, mas também nas urnas que elegem prefeitos, vereadores, deputados e senadores.
Douglas Adams, com seu humor ácido, em O Restaurante no Fim do Universo, divaga a respeito do assunto: “Um dos principais problemas em governar pessoas, está em quem você escolhe para fazê-lo. Ou melhor, em quem consegue fazer com que as pessoas deixem que ele faça isso com elas. Resumindo: é um fato bem conhecido que todos os que querem governar as outras pessoas são, por isso mesmo, os menos indicados para isso.”


Espero que encontremos candidatos que queiram governar para as pessoas. Até lá, OLHO NELES!


Meu professor, Gerson, "saiu com uma" muito legal quando brinquei que seria bem divertido chegar com uma bazuca no congresso e fazer um estrago:
- ELES precisam de VERGONHA, não de alívio.

E não é que é?

Um comentário:

palavras soltas disse...

Show teu blog, mais uma leitora,parabéns... " próxima invenção para esse país: vergonha em pó, gotas, comprimido, capsulas e injetável , para uso contínuo..."